jump to navigation

Mitologia Grega janeiro 28, 2007

Posted by paulovictor in Mitologia Grega.
trackback

paulo3×4.JPG
Paulo Victor de Olveira Batista
Coordenadoog
Toda contribuição será bem-vinda

 Em construção

comentario1.jpg

About these ads

Comentários»

1. paulovictor - janeiro 28, 2007

Mitologia grega
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A mitologia grega compreende o conjunto de mitos, lendas e entidades divinas e/ou fantásticas, (deuses, semideuses e heróis) presentes na religião praticada na Grécia Antiga, criados e transmitidos originalmente por tradição oral, muitas vezes com o intuito de explicar fenômenos naturais, culturais ou religiosos – como os rituais – cuja explicação não era evidente. As fontes remanescentes da mitologia grega ou são transcrições dessa oralida de criação.

Os historiadores da mitologia grega têm, muitas vezes, de se basear em dados fragmentários, descontextualizados (fragmentos de obras literárias, por exemplo) ou através de indícios transmitidos na iconografia grega (principalmente, os vasos) para tentarem reconstituir a riqueza narrativa e conceptual de uma das mitologias mundiais que mais interesse desperta.

Nas suas várias lendas, histórias e cânticos, os deuses da antiga Grécia são descritos como quase humanos em aparência, porém imunes ao tempo e praticamente imunes a doenças e feridas, capazes de se tornarem invisíveis, de viajarem grandes distâncias quase que instantaneamente e de falarem através de seres humanos sem o conhecimento destes.

Cada um dos deuses tem sua própria forma física, genealogia, interesses, personalidade e sua própria especialidade. Essas descrições, no entanto, têm variantes locais que nem sempre estão de acordo com as descrições usadas em outras partes do mundo grego da época. Quando esses deuses eram nomeados em poesias ou orações, eles se referiam a uma combinação de seus nomes e epítetos, com estes os identificando, distinguindo-os de outros deuses. Atualmente, apenas o povo Kalasha, do Paquistão, mantém como religião viva o panteão grego.

Natureza da mitologia grega
Enquanto todas as culturas através do mundo têm suas próprias mitologias, esse termo é de cunhagem grega e teve um sentido específico nessa cultura. Ele deriva de mythologia:

mythos, que no grego homérico significa superficialmente um discurso ritualístico de um chefe, um poeta ou um sacerdote;
logos, que no grego clássico significa “uma história convincente, um argumento em ordem”;
Originalmente, então, a mitologia é uma tentativa de trazer sentido às narrativas estilizadas que os gregos recitavam em festivais, sussurravam em locais sagrados e espalhavam em banquetes de aristocratas.

[Visão geral
O espectro da mitologia grega é enorme. Abrange desde os crimes mais cruéis dos primeiros deuses e as sangrentas guerras de Tróia e Tebas, à infância de Hermes e o sofrimento de Deméter por Perséfone.
A era dos deuses
Assim como seus vizinhos, os gregos acreditavam num panteão de deuses e deusas que eram associados a específicos aspectos da vida. Afrodite, por exemplo, era a deusa do amor, enquanto Ares era o deus da guerra e Hades o dos mortos.

Algumas deidades como Apolo e Dionísio revelavam personalidades complexas e uma variedade de funções, enquanto outros como Helios (“sol”) eram pouco mais que personificações. Existiam também deidades de lugares específicos, como deuses de rios e ninfas de nascentes e cavernas. Tumbas de heróis e heroínas locais eram igualmente veneradas.

Apesar de centenas de seres poderem ser considerados deuses ou heróis, alguns não representavam mais que folclore ou eram honrados somente em lugares (Trophonius) e/ou festivais específicos (Adonis).

Rituais de maior abrangência e os grandes templos eram dedicados, em sua maioria, a um seleto círculo de deuses, notadamente os quinze do Olimpo, Heracles e Asclepio. Estas deidades eram o foco central dos cultos pan-Helênicos.

Muitas regiões e vilas tinham seus próprios cultos a ninfas, deuses menores ou ainda a heróis e heroínas desconhecidos em outros lugares. A maioria das cidades adoravam os deuses maiores com rituais peculiares e tinham para estes lendas igualmente próprias.

Os deuses do Olimpo

ZeusZeus
É o senhor do Olimpo. Destronou Cronos, o seu pai, para reinar no Olimpo. Representa a ordem e a vitória da humanidade sobre as forças selvagens da natureza(No caso,representadas pelos titãs) É ele quem distribui o bem e o mal e governa toda a humanidade. O seu símbolo é o trovão e a águia. Zeus devorou a sua primeira esposa, Métis, quando esta estava grávida de Atena, a deusa da sabedoria, com medo de que a criança viesse a ser um dia mais poderosa do que ele. No entanto, Atena acabou por irromper da cabeça de Zeus quando Hefesto lhe abriu ao meio com um machado. Hera foi a sua segunda esposa, apesar de Zeus ter gerado filhos de muitas deusas e mulheres. Entre os seus descendentes contam-se Apolo, Ártemis, Dionisio, Hércules, as Graças, as Musas, Quíron, Perséfone, Hebe, Hermes, Minos, Perseu, Castor e Pólux entre outros.

Hera
Equivalente, em Roma, a Juno, deusa protectora das mulheres e do casamento e do nascimento. É irmã e esposa de Zeus, e mãe dos deuses Hefesto e Ares.

Atena
Deusa da guerra justa, da sabedoria, das artes, da estratégia e ofícios, equivalente, em Roma, a Minerva. Atena era filha de Zeus, tendo nascido da sua cabeça, já completamente desenvolvida. Na Odisseia, de Homero, é a protetora de Ulisses e do seu filho Telémaco. O seu principal centro de culto era a cidade de Atenas, disputada para ser adorada por Atena e Posseidon. Posseidon ofereceu uma fonte de agua salgada para os habitantes da cidade, enquanto que Atena ofereceu uma oliveira. Os atenienses optaram pela deusa e assim a cidade passou a se chamar Atenas. O Partenon, situado na acrópole da cidade é o maior templo dedicado à deusa e até hoje atrai visitantes de todo o mundo. O mito do nascimento de Atena é de particular importância para entendermos a mentalidade dos gregos. Zeus tomara Métis (Sabedoria, Prudência) como primeira esposa. Estando ela grávida de Atena, o deus a engoliu, para que ela não tivesse um filho mais poderoso que o pai. Atena nasceu, então, da cabeça de Zeus quando este foi atingido na cabeça durante uma batalha. Nesse momento a deusa Atena saiu de dentro do ferimento da cabeça do pai, completamente desenvolvida e armada, pronta para defender seu pai.

Eros
Filho de Ares e Afrodite, em algumas versões considerado filho do Caos, sua versão romana é a de Cupido, ele é o deus do amor.

Poseídon
Poseídon é o deus do mar, e o terceiro filho dos titãs Cronos e Réia e irmão de Zeus e Hades. O deus equivalente na mitologia romana é Neptuno. Támbem conhecido como deus dos terremotos e dos cavalos. O simbolo mais comumente associado a ele é o tridente.

Héstia
Filha de Cronos e Réia, irmã de Hera, Zeus, Posídon, Hades e de Deméter, deusa virgem da lareira e do lar, seu nome romano é Vesta. É provavelmente a deusa mais desconhecida, por serem suas atribuições ao lar, sendo a si dirigidas as preces do bom funcionamento da casa. Não se conhecem aventuras ou passagens da presença desta deusa.

Apolo
Segundo as mitologias grega e romana, é o deus da luz do Sol, da música, da poesia e da profecia, e ainda o protector das musas. É irmão gémeo de Ártemis, filho de Zeus e Latona. Apolo é representado nas estátuas da antiguidade como um deus muito belo, personificando o ideal grego de beleza masculina. Eram particularmente importantes os cultos que lhe eram prestados em Delos, onde teria nascido, e em Delfos, onde se situava o seu principal santuário. Apolo é constantemente confundido com Helios.

Ártemis
Segundo a mitologia grega, a deusa da castidade, dos animais selvagens, da luz da Lua e da caça (a romana Diana). Irmã gêmea de Apolo, era adorada em centros de culto espalhados um pouco por todo o mundo grego, sendo um dos maiores o templo de artemis que se situava em Éfeso. Este enorme templo, várias vezes reconstruído nos tempos da antiguidade clássica, era uma das Sete Maravilhas do Mundo. Ártemis é constantemente confundida com Selene.

Deméter
Filha de Cronos e Réia é a deusa da colheita. Seu nome do grego significa mãe da terra (de=terra, meter=mãe). Deusa responsavel pelas estações. Teve uma linda filha com Zeus, chamada Persefone. Hades deus dos infernos(sub-mundo) ficou encantado com a sua beleza e resolveu raptá-la para levá-la para seu reino. Após o rapto de Persefone, Demeter saiu em sua busca durante 9 dias e 9 noites, mas em vão, já que ninguem sabia onde estava a sua filha. Então Helios, o deus que tudo vê, lhe contou o que tinha acontecido. Zeus ficou indiferente, então, Demeter, passou a viver na terra, em Attica, e decidiu que não só ela ficaria de luto pela perda da filha, como toda a natureza também. Todas as plantas começaram a morrer e as pessoas começaram a morrer de fome. Zeus ficou preocupado e instruiu Íris para conversar com Demeter, mas de nada adiantou. Zeus então enviou Hermes para conversar com Hades. Hades concordeou em liberar Persefone, mas lhe deu uma semente para comer. Com esse truque de lhe dar uma comida do sub-mundo ele conseguiu garantir que Persefone voltaria para ele. Quando ela voltou para a sua mãe as flores brotaram e toda a terra foi coberta de verde e assim foi por 8 meses, enquanto Perséfone ficou junto da sua mãe, mas nos 4 meses seguintes ela retornou ao sub-mundo e por la permaneceu por 4 meses, nesse periodo sua mãe entrou de luto e com ela toda a natureza. Todo ano esse ciclo se repete.

Hermes
Equivalente, em Roma, a Mercúrio. Filho de Zeus e Maia, tinha a função de mensageiro dos deuses. Usava sandálias com asas, um chapéu de abas largas, e segurava uma vara (caduceu) onde se enrolavam duas serpentes. Hermes era o protector dos ladrões, viajantes e mercadores.

Dionísio
Na mitologia grega, o deus do vinho é filho de Sémele e de Zeus, e também do excesso orgiástico. Era servido por mulheres, as ménades, de quem se dizia serem capazes de despedaçar um animal apenas com a força dos seus braços, quando sob a influência do deus. Foi identificado com o deus romano Baco, cujos ritos eram menos cruéis e deram origem às bacanais.

Afrodite
Segundo a mitologia grega, é a deusa do amor e da beleza. Por vezes, considera-se que é filha de Zeus (por exemplo, nos textos de Homero), outras vezes diz-se que nasceu da espuma do mar (como nos textos de Hesíodo). Casada com Hefesto, o deus do fogo, era-lhe infiel. É a mãe de Hermafrodito (com Hermes), Eros o deus do amor, Anteros, Fobos, Deimos e Harmonia (com Ares), Hymenaios e Priapo (com Dionísio) e Enéias (com o mortal Anquises). A deusa equivalente na mitologia romana é Vénus.

Hefesto
Deus do fogo, dos metais e da metalurgica, filho de Zeus e Hera. Trabalhava admiravelmente os metais e construiu inúmeros palácios de bronze, além da esplêndida armadura de Aquiles e o cetro e a égide de Zeus. Segundo uma tradição, nasceu coxo, pelo que sua mãe lançou-o do alto do monte Olimpo, foi recolhido por Tétis e Eurínome, com as quais permaneceu durante nove anos. Voltando ao Olimpo, ao defender Hera contra Zeus, este atirou-o do céu e, precipitando durante um dia inteiro, caiu na ilha de Lemos. Suas forjas, com vinte foles, foram depois do Olimpo colocadas no Etna, onde tinha os Ciclopes como companheiros de trabalho.

Ares
Deus da Guerra. Seu símbolo era o cão ou o abutre. Pai de Rômulo e Remo, que fundaram Roma.Era mais cultuado pelos romanos do que pelos gregos. Ele se preocupava com a guerra e a batalha,e entrava rápidamente em uma briga. Marte em Roma.

Hades
Irmão de Zeus e Posídon, Hades divide com eles o domínio do Universo. Enquanto o primeiro detém os Céus e o segundo os Mares, Hades é o senhor do mundo subterrâneo, a morada dos mortos, que comporta o Inferno ou Hades, local genérico para a moradia dos mortos, o Tártaro, abrigo dos grandes criminosos e inimigos dos deuses, e o os Campos Elíseos, habitação dos bem-aventurados, virtuosos e benquistos dos deuses, as pessoas evitavam dizer seu nome, e diziam “apelidos”, como Plutão, que deu nome ao deus romano.

Panteão
Os deuses da mitologia grega representam forças e fenômenos da natureza e também impulsos e paixões humanas. Moram no Monte Olimpo e de lá controlam tudo o que se passa entre os mortais. O Panteão Grego inclui semideuses, heróis e inúmeras entidades, como os sátiros e Ninfas, espíritos dos bosques, das águas ou das flores..

Genesis

O mundo primordial, segundo a Mitologia GregaNo princípio havia o Caos, e em algum momento surgiu Erebus, o lugar desconhecido onde a morte mora, e Nix. Havia apenas silêncio e vazio. Então, Amor nasce produzindo um início de ordem, e se faz Luz e Dia, e a terra (Gaia) aparece. Erebus e Noite copulam e dão nascimento a Éter, a luz celestial, e Dia, a luz terrena. Gaia, por si só, gera Urano, o céu. Urano torna-se o esposo de Gaia e a cobre por todos os lados. Da união de Urano e Gaia surgem todas as criaturas, Titãs, Ciclopes, e Hecatonquiros.

Os Titãs
Os Titãs foram doze dos filhos dos primitivos senhores do universo, Gaia e Urano. Seis eram do sexo masculino – Oceano, Ceo (pai de Leto), Crio, Hipérion, Jápeto (pai de Prometeu) e Cronos – e seis do feminino – Téia, Réia (mãe dos deuses do olímpo), Têmis (a justiça), Mnemósine (a memória), Febe (deusa da Lua cheia) e Tétis (deusa do mar). Tinham por irmãos os três hecatônquiros, monstros de cem mãos e cinqüenta cabeças, e os três Ciclopes, que forjavam os relâmpagos.

Urano não gostava dos Ciclopes e dos Hecatônquiros por isto os prendeu no Tartáro. Gaia então instigou entre seus filhos a revolta. Foi Cronos, o mais jovem, que assumiu a liderança da luta contra Urano e, usando uma foice oferecida por Gaia, castrou seu pai. O sangue de Urano, ao cair na terra, gerou os gigantes; da espuma que se formou no mar, nasceu Afrodite.

Com a destituição de Urano, os Titãs libertaram os outros irmãos e aclamaram rei a Cronos, que desposou sua irmã Réia e voltou a prender os Hecatônquiros e os ciclopes no Tártaro.

A Titanomaquia
Cronos foi advertido de que assim como aconteceu com seu pai ele também seria destronado por um de seus filhos, então passou a devora-los quando nasciam; assim ele o fez com Deméter, Hera, Hades, Héstia e Poseidon. Quando Zeus nasceu, Réia deu uma pedra para Cronos no lugar do seu sexto filho, que ocultou numa caverna na ilha de Creta. Ao atingir a idade adulta, Zeus decidiu destronar o pai, conforme a antiga profecia.

A primeira aliada de Zeus foi a titânida Métis, deusa da prudência. Métis enganou Cronos, fazendo-o beber uma poção que o obrigou a vomitar Héstia, Deméter, Hera, Hades e Posídon, os filhos engolidos. Zeus conseguiu ainda libertar os ciclopes, seus tios, que se juntaram a ele e aos irmãos.

Armado com o relâmpago (presente dos ciclopes) e recoberto com a égide (possivelmente a pele da cabra Amaltéia, já morta), Zeus enfrentou Cronos e os outros titãs. Do lado de Zeus, além dos irmãos e dos tios (os ciclopes), estavam as oceânides Métis e Estige, os filhos de Estige (Zelo, Niké, Cratos e Bias) e Prometeu, filho de Jápeto. Do lado dos titãs, as operações foram conduzidas por Atlas.

Após dez anos de luta, a um conselho de Gaia, Zeus libertou também os poderosíssimos hecatônquiros. Com mais esses aliados, os titãs foram finalmente derrotados e expulsos do céu.

O Olimpo
Com a vitória, Zeus se tornou o soberano dos Deuses e passou a governar o universo no Monte Olimpo, uma montanha mistica que se estendia além da terra. A Poseidon ele concedeu o domínio sobre as águas e a Hades o inferno de Tártaro.

O novo soberano prendeu os titãs vencidos no Tártaro, eternamente vigiados pelos hecatônquiros, e condenou o poderoso Atlas a sustentar eternamente a abóbada celeste.

Os Olímpicos
Dentre os principais deuses olímpicos, doze eram mais importantes e mais poderosos que os demais: seis filhos do titã Crono, seis filhos de Zeus e uma deusa, Afrodite, nascida do sêmen de Urano.

O principal deus é Zeus, o pai e rei dos deuses e dos homens. Cultuado em toda a Grécia, é o guardião da ordem e dos juramentos, senhor dos raios e dos fenômenos atmosféricos. Hera, irmã e esposa de Zeus, preside os casamentos, os partos, protege a família e as mulheres. Atena, ou Palas Atena, nasce da cabeça de Zeus, já completamente armada. É a deusa da inteligência, das artes, da indústria e da guerra organizada. Héstia Filha de Cronos e Réia, deusa da lareira e do lar. Apolo, filho de Zeus e da deusa Leto, é o deus da luz do sol, da música, da adivinhação e da medicina. Artemis, irmã gêmea de Apolo, é a deusa-virgem, símbolo da vida livre, das florestas, da caça e da luz da Lua. Afrodite, deusa da beleza, do amor e da volúpia sexual, é casada com Hefesto ou Hefaísto, filho de Zeus e de Hera, feio e disforme, protetor dos ferreiros e dos ofícios manuais. Hares (Ares), filho de Zeus e Hera, é o deus da guerra violenta. Poseidon ou Posídeon, irmão de Zeus, é o deus do mar. Hades, irmão de Zeus, governa a vida após a morte e a região das trevas – Hades governa o tártaro, o mundo inferior, para onde se dirigem todos os mortos. Deméter é a deusa da colheita. Dionísio, deus da videira e do vinho. Hermes, filho de Zeus e da ninfa Maia, é o mensageiro dos deuses, protetor dos pastores, dos negociantes, dos ladrões e inspirador da eloqüência. Eros Filho de Afrodite e de Ares (ou do Caos), jovem alado com o arco do amor, deus do amor.

No Olimpo, os deuses passavam o tempo em maravilhosos palácios, eternamente em festa. Comiam a ambrósia e bebiam o néctar, alimentos exclusivamente divinos, ao som da lira de Apolo, do canto das Musas e da dança das Cárit

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovictor.wordpress.com

2. paulovictor - janeiro 28, 2007

Genealogia dos deuses gregos
Gênesis
Caos
Nix (Noite)
Erebus (princípio vital masculino)
Éter (Luz Celestial)
Hemera (Luz do Dia)
Eros (Amor, princípio organizador do mundo)
Gaia (Terra)
Uranós (Céu)
Montes
Ponto
Tártaro

Primeira Geração
Uranós, depois de criado por Gaia, passa ser seu marido e protetor, sempre deitado sobre ela, gerando vida nela, copulando-a periodicamente com a chuva.Uranós e Gaia geraram as criaturas: os Titãs e as Titânidas, os Ciclopes, e os Hecatonquiros.

Titãs
Oceano
Ceo
Crio
Hipérion
Jápeto
Cronos

Titânidas
Téia
Réia
Têmis (Eqüidade)
Mnemósine (Memória)
Febe (deusa da Lua cheia)
Tétis (deusa do mar)

Ciclopes
Monstruosos seres de um olho apenas, responsáveis por forjar os relâmpagos.

Arges
Esterope
Brontos

Hecatonquiros
Seres também monstruosos, que possuíam cem braços e cem olhos.

Coto
Briareu
Gias

Filhos só de Urano
Quando Cronos castrou seu pai, na revolta dos Titãs, seu esperma caiu parte na terra, gerando os Gigantes (Alcioneu, Efiates, Porfírio, Encélado…), e parte no mar (Chipre), desenvolvendo-se em uma concha, gerando Afrodite.

Além disso, ele mesmo criou as feias Eríneas (Aleto, Tisífone, Megera) e as Ninfas Melíadas.

Segunda Geração (Reinado dos Titãs)
Em uma revolta contra seu pai, Crono castrou Uranós passou a reinar no mundo, com seus irmãos Titãs. Nesse momento, os Ciclopes e Hecatonquiros já estavam presos no Tartaro.

Filhos de Cronos e Réia
Deméter (Deusa da Agricultura)
Hera
Hades (Deus do Mundo dos Mortos)
Héstia (Responsável pelo Fogo)
Poseidon (Deus dos Mares)
Zeus

Filhos de Hipérion e Téia
Helios (Sol)
Selene (Lua)
Eos (Aurora)

Astreu + Eos
Zéfiro (Brisa)
Bóreas (Vento Norte, frio e úmido)
Noto (Vento Sul, quente e seco)

Filhos de Geos e Febe
Leto
Astéria (Estrela)

Filhos de Oceano e Tétis
Rios:
Nilo, Erídano, Alfeu, Estrímon, Istro, Fásis, Aqueloo, Simois, Escamandro…
Ninfas Oceânidas:
Electra, Dóris, Clímene, Calírroe, Dione, Pluto, Europa, Métis, Calipso, Estige (rio do inferno)…

Filhos de Crio e Euríbia (não-titã)
Astreu
Palante
Perises

Filhos de Jápeto e Clímene (Ninfa)
Atlas (gigante que carrega a Terra)
Menecio
Prometeu (gerador dos homens)
Epimeteu

Terceira Geração (Deuses do Olimpo)

[editar] Casamentos de Zeus
Zeus teve diversos amores e filhos. Métis, sua primeira esposa – o aconselhou a engoli-la para que não se repetisse com Zeus o que aconteceu com Urano e Cronos, de um filho de seu primeiro casamento o tirar do poder banindo-o. Assim fazendo, tempos depois, de dentro da cabeça cabeça de Zeus, saí vestida para a batalha e dançando músicas de guerra, Atena

- com Métis (Sabedoria)

Atena

- com Têmis (Eqüidade)

Horas
Eunomia (Boa Norma)
Diké (Justiça)
Irene (Paz)

Moîras (tecem os fios do destino)
Cloto (tece – passado)
Láquesis (enrola – presente)
Átropos (corta – futuro)

- com Eurínome (Beleza e Alegria de Viver)

Cárites
Agaia
Eufrosina
Talia

- com Deméter (Vida do Império do Mundo dos Mortais)

Perséfone

- com Mnemósine (Domínio das Artes)

As Nove Musas:
Calíope
Clio
Erato
Euterpe
Melpomene
Polímnia
Tália
Terpsícore
Urânia

- com Leto (Dia e Noite)

Apolo (Deus do Sol)
Artemis (Deusa da Lua)

- com Hera (Hierogamia – o Grande Casamento)

Ilítia (Parto)
Hebe (Juventude)
Ares (Deus da Guerra)
Hefestos (Criador das Tecnologias)

- com Maia (Conhecimento do Visível e do Invisível)

Hermes (mensageiro dos deuses)

- com a mortal Semele (Explosão dos Instintos)

Baco (Deus do Vinho)

- com a mortal Alcmena (Força e Destemor)

Hércules (O Grande Herói)
Genealogia do Lado Negro

Filhos de Ponto e Géia
Taumas
Forcis
Ceto
Euríbia

Fórcis + Ceto
Gréias (três velhas que compartilha um só olho e um só dente)
Ênio
Pênedo
Dino
Górgonas
Ésteno
Euríale
Medusa

Taumas + Electra (Ninfa)
Harpias (cabeça de mulher e corpo de águia)
Aelo
Ocípite
Celeno
Íris

Filhos da Nix
Moro (Destino)
Tanatos (Morte)
Hipno (Sono)
Momo (Sarcasmo)
Nêmesis(Ética)
Gueras (Velhice)
Éris (Discórdia)
Hispérides
Queres(Devastação)
Monstros (Descendência da Medusa)
Pegasus (cavalo alado)
Crisaor

Crisaor + Calírroe (Ninfa)
Gerião
Équidna (grande serpente)
Ortro
Cérbero (cão de três cabeças, guardião do Tártaro)
Hidra de Lerna
Quimera
Leão da Neméia (leão do tamanho de um elefante)
Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/Genealogia_dos_deuses_gregos”
Categoria: Mitologia grega

Esta página foi modificada pela última vez a 17:48, 25 Janeiro 2007. O texto desta página está sob a GNU Free Documentation License.
Os direitos autorais de todas as contribuições para a Wikipédia pertencem aos seus respectivos autores (mais informações em direitos autorais). Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovictor.wordpress.com

3. paulovictor - janeiro 28, 2007

Genesis

O mundo primordial, segundo a Mitologia GregaNo princípio havia o Caos, e em algum momento surgiu Erebus, o lugar desconhecido onde a morte mora, e Nix. Havia apenas silêncio e vazio. Então, Amor nasce produzindo um início de ordem, e se faz Luz e Dia, e a terra (Gaia) aparece. Erebus e Noite copulam e dão nascimento a Éter, a luz celestial, e Dia, a luz terrena. Gaia, por si só, gera Urano, o céu. Urano torna-se o esposo de Gaia e a cobre por todos os lados. Da união de Urano e Gaia surgem todas as criaturas, Titãs, Ciclopes, e Hecatonquiros.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIM 129851
http://paulovictor.wordpress.com

4. paulovictor - janeiro 28, 2007

Nix
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nix,
deusa da noite (William-Adolphe Bouguereau – La Nuit (1883))A deusa grega Nix era a personificação da noite. Uma das melhores fontes de informação sobre aquela deusa provém da teogonia de Hesíodo. Muitas referências são feitas a Nix naquele poema que descreve o nascimento dos deuses e deusas gregos. A explicação é simples. A Noite desempenhou um papel importante no mito como um dos primeiros seres a vir à existência.

Hesíodo afirma que a Noite era irmã do Caos, o que a torna uma das primeiras criaturas a emergir do vazio. Isso significa que Nix era irmã de algumas das mais antigas divindades da mitologia grega, incluindo Erébo, Gaia e Tártaro. Dessas forças primordiais sobreveio o resto dos deuses e deusas gregas. E Nix era responsável por dar origem aos filhos divinos.

Nix deu origem a um número de crias. Algumas dessas crianças da Noite eram Éris (a Discórdia ou Altercação), as moiras (Cloto, Lachesis e Atropos), Nêmesis, a ética, o éter , o dia, o destino, as queres, a miséria, o sono, os sonhos e Tânatos, a Morte. Conquanto esses seres nasceram de deusas isoladas, sem um pai, Nix também teve filhos do deus Erebus. Dele, a divindade deu à luz Éter, o ar e Hemera, o Dia.

Em sua Teogonia, Hesíodo também descreve a residência proibida da Noite:

Lá também está a melancólica casa da Noite;
nuvens pálidas a envolvem na escuridão; Antes delas, Atlas se porta, ereto, e sobre sua cabeça, com seus braços incansáveis, sustenta firmemente o amplo céu, onde a Noite e o Dia cruzam um patamar de bronze e então aproximam-se um do outro

Nix é uma deusa primordial, nascida do Caos, sendo a mais velha filha deste. Nyx foi a primeira criatura a emergir do vazio. Isso significa que Nix era irmã de algumas das mais antigas deidades do mito grego, incluindo Erebo (a Escuridão), Gaia (a mãe Terra) e Tártaro (Trevas abismais) e Eros (o amor da criação). Dessas forças primordiais sobreveio o resto dos deuses e deusas gregas.

Nix foi responsável por dar origem a muitos filhos divinos. Personificava a noite como divindade feminina. Uma das melhores fontes sobre esta deusa provém da Teogonia de Hesíodo. Muitas referências são feitas a Nyx nesse poema que descreve o nascimento dos deuses e deusas gregos. E explicação é simples. Nyx desempenhou um papel importante no mito como um dos primeiros seres a vir à existência. Na tradição Órfica, todo universo e demais Deuses primais nasceram do Ovo Cósmico de Nyx.

Nyx, cuja raiz é o indo-europeu – Trevas superficiais ou superiores. Habita o extremo Ocidente, além do país dos Cimérios, enquanto Érebo personifica as trevas subterrâneas, inferiores.

Nyx percorre o céu, coberta por um manto negro, sobre um carro puxado por quatro cavalos negros e sempre acompanhada das Queres. Certos poetas a consideram como mãe de Urano e de Gaia; Hesíodo dá-lhe um lugar entre os filhos do Caos com o posto de Mãe dos Deuses, porque sempre se acreditou que a Nyx e Erebo haviam precedido a todas as coisas. Nix é a patrona das feiticeiras e bruxas, é a Deusa dos segredos e mistérios noturnos, rainha dos astros da noite. Homero se refere a Nyx com o epíteto “A domadora dos Homens e dos Deuses”, demonstrando como os outros Deuses respeitavam-na e temiam esta poderosíssima deidade.

Nyx, assim como Hades, possuía um capuz que a tornava invisível a todos. assistindo assim ao universo sem ser notada. Foi Nyx que colocou Helios entre seus filhos (Hemera, Eter e Hespérides); quando os outros Titãs tentaram assassinar Helios. Zeus tem um enorme respeito e temível pavor da Deusa da Noite, Nix. Os filhos de Nyx são a Hierarquia em poder para os Deuses, sua maioria são divindades que habita o mundo subterrâneo e representam forças indomáveis e que nenhum outro Deus poderia conter. Em uma versão, as Erínias seriam filhas de Nyx (Ésquilo), Nix era cultuada por bruxas e feiticeiras, que acreditavam que ela dava fertilidade a terra para brotar ervas encantadas, e também se acreditava que Nix tinha total controle sobre vida e morte, tanto de homens como de Deuses.

Nix aparece hora como uma deusa benéfica que simboliza a beleza da noite (semelhante a Leto) e hora como cruel deidade Tartárea, que profere maldições e castiga com terror noturno (Hecate e Astéria). Nix é também uma Deusa da Morte, a primeira rainha do mundo das Trevas. e Nix também tinha dons proféticos, e foi ela quem criou a arma que Gaia entregou a Crono para destronar Urano. Nix conhecia o segredo da imortalidade dos Deuses podendo tirá-la e transformar um Deus em mortal, como ela fez com Crono apos este ser destronado por Zeus.

Desposou Érebo, seu irmão, de quem teve o Éter (luz celestial) e Hemera (Dia). Mas sozinha, sem se unir a nenhuma outra divindade, procriara o inevitável e inflexível Moros (as Sortes), Kera (destina o tipo de morte o destino do homem em seus momentos finais), a Tânatos (Morte), Hypnos (o Sono), Oniro (a legião dos Sonhos), Momo (escarnio), Oizos (miséria), as Hespérides (Tarde), guardadoras dos pomos de ouro, as desapiedadas Moiras (Deusas do destino), a divina Nêmesis (Deusa da retribuição), Apate (engano,fraude), Filotes (amizade) , Geras (velhice) Éris (Discórdia) Limos (a fome), Ftono (inveja), Ênio (Belona, deusa da carnificina) Lissa (a loucura) e Caronte o barqueiro do rio Aqueronte do mundo dos mortos (que transporta as almas dos mortos entre o mundo dos vivos para o mundo dos mortos – o Rio Aqueronte na verdade era o Deus Erebo que foi precipitado em rio sinistro de Hades como forma de castigo por Erebo ter apoiado os Titãs contra os Olimpos, Nix o castigou) a fronteira dos dois mundos; em resumo, tudo quanto havia de doloroso na vida passava por ser obra de Nix, a maior parte dos outros descendentes de Nix nada mais são que conceitos e abstrações personificados; sua importância nos mitos é muito variável.

Algumas vezes, a exemplo de Hades, cujo nome evitava-se de pronunciar, dão a Nix nomes gregos de Eufrone e Eulalia, isto é, – Mãe do bom conselho. Há quem marque o seu império ao norte do Ponto-Euxino, no país dos Cimérios; mas a situação geralmente aceita é na parte da Espanha, – a Esméria, na região do poente, perto das colunas de Hércules, limites do mundo conhecido dos antigos. Quase todos os povos da Itália viam Nyx ora com um manto volante, recamado de estrelas, por cima de sua cabeça, ou com um outro manto azul e archote derrubado, ora representada por uma mulher nua, com longas asas de morcego e um fanal na mão. Representam-na também coroada de papoulas e envolta num grande manto negro, estrelado. Na mitologia grega a papoula era relacionada a Hipnos, o deus do sono, pai de Morpheu e filho de Nyx -que a tinha como planta favorita e, por isso, era representado com os frutos desta planta na mão. Há também uma relação entre a papoula e a deusa Nix. Deusa da Noite, filha do Caos, é na verdade a mais antiga das divindades. Freqüentemente, ela é representada coroada de papoulas e envolta num grande manto negro e estrelado. Às vezes num carro arrastado por cavalos pretos ou por dois mochos, e a deusa cobre a cabeça com um vasto véu semeado de estrelas e com uma lua minguante na testa ou como brincos.

Muito freqüentemente colocam-na no mundo subterrâneo, entre o Hypnos e Tânatos, seus dois filhos. Algumas vezes um menino precede-a, empunhando uma tocha, – símbolo do crepúsculo. Os romanos não a punham em carro, e representavam-na ociosa e sempre adormecida. É muito rica em todas as potencialidades de existência, mas entrar em Nix é regressar ao indeterminado, onde se misturam pesadelos, íncubos, súcubos e monstros. Símbolo do inconsciente, é no Hypnos de Nix que aquele se libera.

Hemera e as Hespérides nasceram para ajudar Nix a não se cansar, assim nasceu o ciclo diário, Hemera tras o dia (relaciona com Eos que traz a aurora e Helios o Sol) ; as Hespérides trazem a tarde, (relaciona com Selene do luar) e Nyx traz a absoluta Noite, todas estas deidades em conjunto conduzem a dança das Horas; complementando estes ciclos temos outros Deuses de outras linhagens, como as Horas que representam ciclos mensais e anuais; Leto e Hécate que recebem o legado de Nyx como deidade da noite. As moiras, filhas de Nix (Cloto, Laquesis e Atropo); são outra continuidade dos poderes gigantescos de Nyx do negro véu…

[editar] NIX E O MUNDO DE SANDMAN
Nos livros de Neil Gaiman referentes ao personagem Sandman ( ou Morfeus ), aparecem inumeras referencias aos filhos da noite, como sendo perpétuos. Os perpétuos são: Sonho ( Sandman), Desejo, Destino, Solidão, Delirium, Morte e Destruição. Os perpétuos seriam, inclusive, superiores aos deuses e passaram a existir antes deles. Tal referencia pode ser tomada da mitologia greco-romana de que a noite foi um dos primeiros seres a existir (sendo filha do Caos e Érebo segundo algumas versãos ou o primeiro ser, que deu a luz a Fanes), sendo assim, seus filhos ( os perpétuos no caso ) seriam anteriores aos próprios deuses. Alguns dos perpétuos são claramente referencias aos filhos da noite, como o Destino, Sonho, Solidão e a Morte. Porem outros como fazem referencias mais sutis, como Delirum ( sendo uma personagem referente a Momo) e Desejo ( sendo muito ligado a Discordia)

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/Nix”

5. paulovictor - janeiro 28, 2007

ÉTER

Éter (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Na mitologia grega, Ether ou Aether (em grego Αἰθήρ Aithếr, de αἵθω aíthô, ‘queimar’) era a personificação do ‘céu superior’. Era o ar elevado, puro e brilhante, respirado pelos deuses, contrapondo-se ao ar obscuro ἀήρ aếr, que os mortais respiravam, sendo deus desconhecido da matéria, em consequência as moléculas de ar que formam o ar e seus derivados.

É considerado por Hesíodo como filho de Erebus e de Nix, tendo por irmã Hemera. Unido a esta, gerou Gaia, a Terra, Urano, o Céu e Pontos, o Mar, e, depois, seres não antropomorfizados: Tristeza, Cólera, Mentira, etc. A lista de Higino lhe atribue como filhos: Oceanus, Témis, Briareu, Giges, Estérope, Atlas, Hipérios, Saturno (Pierre Grimal coloca a versão latina ao invés de Cronos), Ops, Moneta, Dione e as três Fúrias. Cícero lhe atribui paternidade sobre Júpiter e Celo, ou seja, Urano.

Assim como Nix, que personifica as trevas superiores, tem como seu correspondente Erebus, as trevas inferiores (e, em algumas versões, este aparece como filho daquela), pode ser interpretado que Éter tem seu correspondente em Urano (de quem ora aparece como filho, ora como pai).

Derivado do verbo aíthen, queimar, fazer brilhar, era usado na hélade genericamente para ‘queimado de sol’. Desse modo, conforme o contexto, poderia significar tanto ‘fazer brilhar’ quando ‘tornar-se escuro como fuligem’. Éter estaria entre Urano e o ar. Por personificar o céu superior, considera-se sua camada mais pura que aquela próxima da terra. Entretanto, Éter é luz que queima ao iluminar. Há uma tensão no verbo do qual deriva. Significa tanto ‘fazer luzir’ quanto ‘escurecer’, conforme o contexto. Em Urano, esta dinâmica específica está ausente.

Junito Brandão faz a aproximação com o sânscrito i-n-ddhé, ‘ele inflama’, édha, ‘floresta incendiada’, e com o latim aedes, ‘lareira’, aestas, ‘verão, estio’, aestus, ‘ardor, calor ardente’. Carlo Rusconi relaciona o étimo à origem da palavra Etiópia: ahithou, ‘arder’, remontando a raíz aidh, que em grego seria aith.

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89ter_%28mitologia%29″

6. paulovictor - janeiro 28, 2007

Hemera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Na mitologia grega, Hemera – filha de Nix (a noite) com Erebo (o inferno) – era personificação do dia. Teve um romance com seu irmão Éter e com ele teve uma filha, Talassa. Hemera personificava a luz do dia e o ciclo da manhã. Nasceu junto de Ether e das Hespérides. Era personificação do dia como divindade feminina. Algumas tradições colocam Éter e Hemera como pais de Urano e de Gaia — logo como a semente de quase todos os deuses gregos. Mais tarde, passou a compor o séquito de Hélios ao lado das Hespérides. Era também guardiã das fronteiras, entre o mundo onde chegava a luz e o mundo das sombras.

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/Hemera”

7. paulovictor - janeiro 28, 2007

Mitologia e Astronomia

Deuses e Semi-deuses homenageados pela Astronomia

Mitologia Greco-Romana

Mitologia Greco-Romana

Adrasteia Amaltéia Ananke Andromeda Aphrodite Apollo Ares Artemis Atlas Callisto Calypso Caronte Cassiopeia Centauro Cerberus Ceres Chiron Cronus Dactils Deimos Despina Dione Elara Enceladus Epimetheus Eros Europa Fobos Gaia Galatea Ganymedes Hades Helene Helios Hera Hermes Himalia Hiperion Iapetus Ida Io Janus Juno Júpiter Larissa Leda Luna Lysithea Marte Mercúrio Metis Mimas Naiads Nereidas Nereus Netuno Pallas Pan Pandora Pasiphae Pegasus Phaeton Phobos Phoebe Pleiades Plutão Poseidon Prometheus Proteus Réia Saturno Selene Sinope Sol Sphinx Telesto Tellus Tethys Thalassa Thebe Titans Triton Urano Venus Vesta Zeus

Adrasteia
Adrasteia, a distribuidora de recompensas e punições, era filha de Júpiter e Ananke.

Amalteia
Amaltéia era a ninfa que aleitou Júpiter, quando era criança, com leite de cabra.

Ananke
Ananke era a mãe de Adrasteia. O pai era Júpiter.

Andromeda
Andromeda era filha do rei Cepheus e da rainha Cassiopeia da Etiópia. Sua mãe, a rainha Cassiopeia, era uma mulher excessivamente presunçosa que ousou se vangloriar de que ela era ainda mais bonita do que as Nereidas, um grupo de 50 ninfas do mar de extraordinária beleza. As Nereidas ficaram tão ofendidas pela arrogância da vaidosa rainha que imploraram a Posseidon que a punisse. Em resposta ao apelo das Nereidas, Poseidon enviou o monstro do mar Cetus para devastar a Etiópia. Quando o rei Cepheus perguntou ao oráculo em Ammon o que ele devia fazer para acalmar a ira do deus, lhe foi dito que ele deveria dar sua belíssima filha virgem em sacrificio ao monstro do mar. Deste modo ele acorrentou Andromeda a um rochedo na costa do Mediterrâneo, em Jaffa, onde presentemente está a cidade de Tel Aviv, Israel, à espera da aproximação do monstro. Felizmente a vida de Andromeda foi salva por Perseus, que matou o monstro e pediu a mão de Andromeda em casamento.
Aphrodite
Apollo
Ares
Artemis

Atlas era um Titan
condenado por Zeus a sustentar os céus sobre seus ombros. Ele era filho de Iapetus e da ninfa Clymene, e era irmão de Prometheus e Epimetheus.

Callisto
Callisto era uma ninfa, adorada por Zeus e odiada por Hera. Hera transformou-a em um urso e Zeus então a colocou no céu como a constelação da Ursa Maior.

Calypso
Na mitologia grega Calipso era uma ninfa do mar que retardou Odysseus em ilha dela durante 7 anos.

Carme
Carme era a mãe de Britomartis, uma deusa cretense. O pai era Zeus.

Caronte
Caronte é o nome dado à figura (um demônio?) mitológica que transportava em uma balsa os mortos através do rio Acheron (ou rio Styx) para dentro de Hades, o inferno.
Cassiopeia
Centauro
Cerberus

Ceres
Ceres é o nome romano para a deusa grega Demeter.
Para os gregos Ceres era a deusa mãe da Terra. Seduzida por Zeus ela teve uma filha dele, Persephone. Persephone cresceu alegremente entre as outras filhas de Zeus, mas sendo extremamente atraente e bela seu tio Hades se apaixonou por ela. Um dia enquanto Persephone estava colhendo flores o chão se abriu, Hades apareceu e arrastou-a para o Inferno. Persephone gritou enquanto isto acontecia mas, embora ouvindo-a gritar, quando Ceres chegou ao local não havia mais sinal de Persephone. Por nove dias e nove noites Ceres vagou pelo mundo com uma tocha acesa em ambas as mãos procurando a sua adorada filha. Somente no décimo dia ela encontrou Helios, que ve tudo, e que foi capaz de dizer a ela o que tinha realmente acontecido. Ceres então decidiu abandonar a sua condição divina até que sua filha retornasse para ela.
O exilio que Ceres impos a si mesma de sua condição divina fez a Terra se tornar estéril, de modo que Zeus ordenou a Hades que devolvesse Persephone à sua mãe. Só que isto não era mais possível. Durante a sua estadia no Inferno de Hades, Persephone havia comido uma semente de romã, o que a ligava para sempre a Hades. Foi obtido então um acordo segundo o qual Ceres retornaria ao Monte Olimpus e Persephone dividiria o ano em duas partes: metade com a sua mãee a outra metade no Inferno.
Esta é a razão pela qual quando Persephone deixa o Inferno para estar com a sua mãe a Terra floresce, trazendo a Primavera e o Verão aos mortais como um sinal da alegria de ambas as divindades. Quando chega o momento de Persephone deixar sua mãe para ir ao Inferno, o Outono e o Inverno cobrem a Terra em sinal de profunda tristeza.
Ceres também era a deusa Siciliana das sementes, dos cereais.
A introdução do culto a Ceres em Roma data de 496 A.C. e parece provir do cerco da cidade pelos Etruscos, enquanto Roma era ameaçada pela fome.

Chiron
seu nome tem origem no sábio Centauro da mitologia grega que foi professor particular de heróis como Hércules e Achilles. Este ser, meio-homem e meio-cavalo, ensinou a eles vários assuntos, inclusive equitação. Chiron também é lembrado por sacrificar a sua imortalidade para libertar Prometheus da rocha onde estava acorrentado como castigo por ter desafiado os deuses dando às raça humana o poder do fogo.
Cronus
Dactils

Este nome provém de Dactyli, um grupo de seres mitológicos que viviam no Monte Ida. Os Dactyli protegeram Zeus, quando ele era criança, da ninfa Ida, escondendo e criando o deus nesta montanha. Outros escritos mitológicos dizem que os Dactyli eram filhos de Ida com Zeus.

Deimos
Na mitologia grega, Deimos é um dos filhos de Ares (Marte) e Afrodite (Venus). Deimos é uma palavra grega que quer dizer “pânico”

Despina
Despina era uma ninfa, filha de Poseidon (Netuno) e Demeter (Ceres).

Dione
Na mitologia grega Dione era mãe de Afrodite (Venus). O pai era Zeus (Júpiter).

Elara
Elara era a mãe do gigante Tityus. O pai era Zeus (Júpiter).

Enceladus
Na mitologia grega Enceladus foi um Titan que foi derrotado em batalha e enterrado debaixo do monte Etna (um vulcão) por Athena.

Epimetheus
Epimetheus era o filho de Iapetus e irmão de Prometheus e Atlas. Ele era marido de Pandora. “Epimetheus” é uma palavra grega que significa “compreensão tardia do que devia ter sido feito”

Eros
Europa
Europa era uma princesa fenícia sequestrada por Zeus para a ilha de Creta. Para realizar isto Zeus assumiu a forma de um touro branco. Europa teve com Zeus um filho, Mimos.

Fobos
Na mitologia grega, Fobos é um dos filhos de Ares (Marte) e Afrodite (Venus). “Phobos” é a palavra grega que significa “medo” e serviu de raiz para a palavra “fobia”.

Gaia
Galatea
Galatea era uma Nereida Siciliana amada pelo Ciclope Polyphemus. Ela não é relacionada com a virgem que era originalmente uma estátua esculpida por Pygmalion e que foi trazida à vida por Aphrodite.

Ganimedes
Ganymede era um garoto Troiano de grande beleza que Zeus levou para ser copeiro dos deuses.

Hades
Helene
Helene é o nome de uma Amazona que lutou com Achilles.
Helios
O Sol é personificado em várias mitologias: os gregos o chamavam de Helios e os romanos o chamavam de Sol.
Sendo deus do Sol. Helios era imaginado passear em uma carruagem puxada por cavalos através do céu, trazendo luz para a Terra. A jornada do Sol, naturalmente, começava no leste e terminava no oeste, local onde Helios completava sua ronda diária e flutuava de volta para o seu palácio no leste em uma taça dourada.
Detalhes desta descrição do papel de Helios como o deus Sol aparecem na mitologia, literatura, poesia e arte. De acordo com o poeta grego Hesiodo, Helios era o filho de dois Titãs – Theia e Hyperion. Na Teogonia de Hesiodo, por conseguinte, Helios era também o irmão de Eos (a deusa da alvorada) e Selene (a deusa da Lua). É interessante notar que a deusa da alvorada, Eos, começa o cortejo da manhã, seguida atentamente pelo seu irmão Helios.
Existem vários mitos nos quais Helios toma parte. Um dos mais memóráveis entre estes contos é a lenda de Phaethon. O Sol também aparece na triste história da infortunada ninfa Clytie. Entretanto, Helios é, na melhor das hipóteses, um tipo de espião celestial, de quem não muita coisa pode ser mantida em segredo. No Hino a Demeter feito por Homero, a deusa Demeter pede a Helios ajuda para localizar sua filha Persephone. Do mesmo modo, é o deus Sol que primeiro nota o caso amoroso que está ocorrendo entre os deuses Olimpicos Aphrodite e Ares, na Odisséia.
Helios também era o pai de alguns importantes personagens mitológicos. Com sua esposa, a Oceanid Perseis, Helios teve tres filhos lendários – Circe, Pasiphae e Aeetes. É bom lembrar que o casal teve vários outros filhos menos ilustres. O deus também teve numerosos relacionamentos com mulheres que resultaram no nascimento de descendentes. A já mencionada Phaethon, por exemplo, era o produto de uma destas uniões. Estes “filhos do Sol” foram, algumas vezes, citados como Heliades na mitologia e literatura.

Hera
Hermes
Himalia
Himalia era uma ninfa que pariu tres filhos de Zeus (Júpiter).

Hiperion
Na mitologia grega Hyperion era um Titan, filho de Gaea e Urano e pai de Helios.
Iapetus

Na mitologia grega Iapetus era um Titan, filho de Urano, pai de Prometheus e Atlas e um predecessor da raça humana.

Ida
Ida era uma ninfa que educou Zeus (Júpiter) quando era criança. Ida é também o nome de uma montanha na ilha de Creta, local de um santuário clássico e da caverna onde é dito que Zeus foi educado.

Io
Io era uma virgem que foi amada por Zeus (Júpiter) e transformada em uma novilha em uma vã tentativa de esconde-la da ciumenta Hera.

Janus
Janus era o deus dos portões e portas. Ele era representado por uma figura com duas faces olhando em direções opostas. Seu nome é o radical da palavra inglesa “January” que significa Janeiro (o mes que “olha” para os dois anos, o que passou e o novo ano).

Juno
Júpiter

Larissa
Larissa era a filha de Pelasgus.
Leda
Leda foi rainha de Esparta e mãe de Pollux e de Helena de Tróia. O pai era Zeus que tomou a forma de um cisne para concebe-los.

Luna
Luna era o nome dado pelos romanos. Os gregos chamavam de Selene e Artemis. Possui muitos outros nomes em outras mitologias.

Lysithea
Lysithea era uma filha de Oceanus e uma das amantes de Zeus.

Marte
Marte era o nome do deus grego Ares. Ele era o deus da guerra. O planeta marte provavelmente recebeu este nome devido à sua cor vermelha. Lembre-se que Marte às veezs é chamado de “planeta vermelho”. Interessante é que o deus romano Marte era o deus da agricultura antes de se tornar associado com o deus grego Ares. Aqueles em favor de colonizar e transfromar Marte em uma nova Terra podem preferir este simbolismo. Na lingua inglesa Marte tem o nome de “Mars”, o que deu origem ao nome do mes “March” (março).

Mercúrio
Na mitologia romana Mercúrio é o deus do comércio, das viagens e do furto (?), a contraparte romana do deus grego Hermes, o mensageiro dos deuses. O planeta Mercúrio provavelmente recebeu este nome porque se move muito rapidamente através do céu.

Metis
Metis era uma Titanesa que foi a primeira esposa de Zeus (Júpiter).
Mimas
Mimas era um dos Titãs mortos por Hércules.

Naiads
As Naiads eram as ninfas que viviam e governavam os riachos, as fontes e as nascentes.
Nereida

Nereida é qualquer uma das ninfas do mar, as 50 filhas de Nereus e Doris.

Nereus
Netuno
Na mitologia romana Netuno (Poseidon, na mitologia grega) era o deus do mar.

Pallas
Pan
Pan era o deus das florestas, campos e rebanhos, tendo torso e cabeça humanos e pernas, chifres e orelhas de bode.

Pandora
Na mitologia grega Pandora foi a primeira mulher dada como uma oferenda à humanidade por Zeus como uma punição pelo roubo do fogo feito por Prometheus. Foi confiada a ela uma caixa contendo todas as adversidades que poderiam afligir as pessoas. Ela abriu a caixa por curiosidade e, consequentemente, libertou todos os males da vida humana. Ela era mulher de Epimetheus.

Pasiphae
Pasiphae era a esposa de Minos. Ela era a mãe do Minotauro. O pai era um touro branco.
Pegasus

Phaeton
Phobos
Phoebe
Phoebe é a filha de Uranus e Gaia, sendo, portanto, avó de Apollo e Artemis.
Pleiades
Plutão
Na mitologia romana, Plutão (em grego, Hades) é o deus do inferno. O planeta Plutão recebeu este nome, após várias sugestões, porque por estar tão longe do Sol ele fica em perpétua escuridão. Alguns dizem que ele recebeu este nome porque “PL” são as iniciais do nome do descobridor do planeta, Percival Lowell.

Poseidon
Prometheus
Prometheus era um Titã que roubou o fogo do Olimpo e o deu à humanidade. Zeus o puniu de modo horrível. Ele era filho de Iapetus, irmão de Atlas e Epimetheus. “Prometheus” é uma palavra grega que quer dizer “previsão, precaução”.

Proteus
Proteus era um deus do mar que podia mudar sua figura à vontade.
Réia
Na mitologia grega Réia era a irmã e esposa de Cronus (Saturno) e a mãe de Demeter, Hades (Plutão), Hera, Hestia, Poseidon (Netuno) e Zeus (Júpiter).

Saturno
Na mitologia romana, Saturno é o deus da agricultura. O deus grego associado, Cronus, era filho de Uranus e Gaia e o pai de Zeus (Júpiter). Saturno é o radical da palavra inglesa “Saturday” que significa sábado.

Selene
Sinope
Sinope era uma mulher que dizem ter sido cortejada por Zeus sem sucesso!

Sol
O Sol é personificado em várias mitologias. Os gregos o chamavam de Helios e os romanos o chamavam de Sol.

Sphynx
Telesto
Na mitologia grega Telesto era uma filha de Oceanus e Tethys.

Tellus
Na mitologia romana Tellus – o solo fértil – era a deusa da Terra. Na mitologia grega era Gaia -”terra mater”, que quer dizer “terra mãe”. Existem centenas de outros nomes para o nosso planeta em várias linguas. O nome do nosso planeta Terra na lingua inglesa, “Earth”, é o único nome de planeta que não tem origem na mitologia greco-romana. O nome provém do alemão e ingles antigos.

Tethys
Na mitologia grega Tethys era uma Titanesa e deusa do mar. Ela era tanto irmã como esposa de Oceanus.

Thalassa
Thalassa era uma filha de Aether e Hemera. “Thalassa” é também a palavra grega para “mar”.
Thebe

Thebe era uma ninfa, filha do deus dos rios Asopus.
Titan
Na mitologia grega os Titãs eram uma família de gigantes, os filhos de Uranus e Gaia, que pretenderam dominar os céus mas foram derrotados e erradicados pela família de Zeus.

Tritão
Na mitologia grega Tritão é um deus do mar, filho de Poseidon (Netuno). Usualmente ele é retratado como tendo a cabeça e o tronco de um homem e o rabo de um peixe.
Urano
Venus

Para os gregos Afrodite e para os babilonios Ishtar, esta era a deusa do amor e da beleza. O planeta Venus, provavelmente, tem este nome porque ele é o mais brilhante dos planetas, sendo conhecido deste tempos pré-históricos pelos povos antigos. Aliás, Venus é, excetuando o Sol, o objeto mais brilhante no céu. Com algumas poucas excessões, os aspectos de superfície sobre Venus receberam nomes de figuras femininas.
Vesta
Zeus

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
cim 129851
http://paulovictor.wordpress.com

8. paulovictor - janeiro 28, 2007

Eros
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Eros (Cupido, no panteão romano) era o deus grego do amor.

Hesíodo, na sua teogonia, considera-o filho de Caos, portanto um deus primordial. Além de o descrever como sendo muito belo e irresistível, levando a ignorar o bom senso, atribui-lhe também um papel unificador e coordenador dos elementos, contribuindo para a passagem do caos ao cosmos.

Posteriormente foi considerado como um deus olímpico, filho de Afrodite e de Zeus, Hermes ou Ares, conforme as versões.

Tendo, certa vez, Afrodite desabafado com Métis, queixando-se que seu filho continuava sempre criança, a deusa da prudência lhe explicou que era porque Eros era muito solitário. Haveria de crescer se tivesse um irmão. Antero nasceu pouco depois e, Eros começou a crescer e tornar-se robusto.

Já Platão, no Banquete, descreve assim o nascimento de Eros, elucidando alguns detalhes até mesmo do aspecto erótico:

Quando nasceu Afrodite, os deuses banquetearam, e entre eles estava Poros (o Expediente), filho de Métis. Depois de terem comido, chegou Pínia (a Pobreza) para mendigar, porque tinha sido um grande banquete, e ela estava perto da porta. Aconteceu que Poros, embriagado de néctar, dado que ainda não havia vinho, entrou nos jardins de Zeus e, pesado como estava, adormeceu. Pênia, então, pela carência em que se encontrava de tudo o que tem Poros, e cogitando ter um filho de Poros, dormiu com ele e concebeu Eros. Por isso, Eros tornou-se seguidor e ministro de Afrodite, porque foi gerado durante as suas festas natalícias; e também era por natureza amante da beleza, porque Afrodite também era bela.
Pois que Eros é filho de Pínia e Poros, eis qual é a sua condição. É sempre pobre não é de maneira alguma delicado e belo como geralmente se crê; mas sujo, hirsuto, descalço, sem teto. Deita-se sempre por terra e não possui nada para cobrir-se, descansa dormindo ao ar livre sob as estrelas, nos caminhos e junto às portas. Enfim, mostra claramente a natureza da sua mãe, andando sempre acompanhado da pobreza. Ao invés, da parte do pai, Eros está sempre à espreita dos belos de corpo e de alma, com sagazes ardis. É corajoso, audaz e constante. Eros é um caçador temível, astucioso, sempre armando intrigas. Gosta de invenções e é cheio de expediente para consegui-las. É filósofo o tempo todo, encantador poderoso, fazedor de filtros, sofista. Sua natureza não é nem mortal nem imortal; no mesmo dia, em um momento, quando tudo lhe sucede bem, floresce bem vivo e, no momento seguinte, morre; mas depois retorna à vida, graças à natureza paterna. Mas tudo o que consegue pouco a pouco sempre lhe foge das mãos. Em suma, Eros nunca é totalmente pobre nem totalmente rico.
Eros casou-se com Psiquê, com a condição de que ela nunca pudesse ver o seu rosto, pois isso significaria perdê-lo. Mas Psiquê, induzida por suas invejosas irmãs, observa o rosto de Eros à noite sob a luz de uma vela. Encantada com tamanha beleza do deus, se distrai e deixa cair uma gota de cera sobre o peito de seu marido, que acorda. Irritado com a traição de Psiquê, Eros a abandona. Esta, ficando MUITO TARADA, passa a vagar pelo mundo até se entregar à morte. Eros, que também sofria pela separação, implora para que Zeus tenha compaixão deles. Zeus o atende e Eros resgata sua esposa e passam a viver no Olimpo.

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/Eros”

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovictor.wordpress.com

9. paulovictor - janeiro 28, 2007

Gaia (mitologia)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Gaia, Géia ou Gê era a deusa da Terra, como elemento primordial e latente de uma potencialidade geradora quase absurda. Segundo Hesíodo, ela é a segunda divindade primordial, nascendo após Caos.

Tal como Caos, Gaia parece possuir uma natureza forte, pois gera sozinha, Urano, Pontos e as Montanhas. Hesíodo sugere que ela gerou Urano com o desejo de se unir a alguém semelhante a si mesma em natureza. Isso porque Gaia personifica a base onde se sustentam todas as coisas, e Urano é então o abrigo dos deuses “bem-aventurados”.

Com Urano, Gaia gerou os 12 Titãs, após, os Ciclopes e os Hecatônquiros. Sendo Urano capaz de prever o futuro, temeu o poder de filhos tão grandes e poderosos e os encerrou novamente no útero de Gaia. Ela, que gemia com dores atrozes sem poder parir, chamou seus filhos Titãs e pediu auxílio para libertar os irmãos e se vingar do pai. Somente Cronos aceitou. Gaia então tirou do peito o aço e fez a foice dentada. Colocou-a na mão de Cronos e os escondeu, para que, quando viesse Urano, durante a noite não percebesse sua presença. Ao descer, Urano – para se unir mais uma vez com a esposa – foi surpreendeido por Cronos, que lhe agarrou os testículos e o castrou violentamente. Do sangue de Urano derramado sobre sua vagina, nasceram Os Gigantes, As Eríneas e as Melíades.

Após a queda de Urano, Cronos subiu ao trono do mundo e libertou os irmãos. Mas vendo o quanto eram poderosos, também os temia e os aprisionou mais uma vez. Gaia, revoltada com o ato de tirania e intolerância do filho, tramou uma nova vingança.

Quando Cronos se casou com Réia e passou a reger todo o universo, Urano lhe anunciou que um de filhos o destronaria. Ele então passou a devorar cada recém nascido por conselhos do pai. Mas Gaia ajudou Réia a salvar o filho que viria a ser Zeus.

Já adulto, Zeus declarou guerra ao pai e aos demais Titãs com a ajuda de Gaia. E durante 10 anos nenhum dos lados chegava ao triunfo. Gia então foi até Zeus e prometeu que ele venceria e se tornaria rei do universo se descesse ao Tártaro e libertasse os 3 Ciclopes e os 3 Hecatônquiros.

Ouvindo os conselhos de Gaia, Zeus venceu Cronos, com a ajuda dos filhos libertos da Terra e se tornou o novo soberano do Universo. Todavia, Zeus realizou um acordo com os Hecatônquiros para que estes vigiassem os Titãs no fundo do Tártaro. Gaia pela terceira vez se revoltou e lançou mão de todas as suas armas para destronar Zeus.

Num primeiro momento, ela pariu os incontáveis Andróginos, seres com quatro pernas e quatro braços que se ligavam por meio da coluna terminado em duas cabeças, além de possuir os orgãos genitais femininos e masculinos. Os Andróginos surgiam do chão em todos os quadrantes e escalavam o Olimpo com a inteção de destruir Zeus, mas, por conselhos de Têmis, ele e os demais deuses deveriam acertar os Andróginos na coluna, de modo a dividi-los exatametne ao meio. Assim feito, Zeus venceu.

Em uma outra oportunidade, Gaia produziu uma planta que comida poderia dar imortalidade aos Gigantes; todavia a planta necessitava de luz para crescer. Mas ao saber disto Zeus ordenou que Hélios, Selene, Éos e as Estrelas não subissem ao céu, e escondido nos véus de Nix, ele encontrou a planta e a destruiu. Mesmo assim Gaia incitou os Gigantes a colocarem as montanhas umas sobre as outras na intenção de subir o céu e invadir o Olimpo. Mas Zeus e os outros deuses venceram novamente.

Enfim, Gaia cedeu e acordou com Zeus que jamais voltaria a tramar contra seu governo. Dessa forma, ela foi recebida como uma deusa Olímpica.

Gaia é a personificação do antigo poder matriarcal das antigas cultura Indo-Européias. É a Grande Mãe que dá e tira, que nutre e depois devora os próprios filhos após sua morte. É a força elementar que dá sustento e possibilita a ordem do mundo.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovictor.wordpress.com

10. paulovictor - janeiro 28, 2007

Urano (mitologia)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Urano (gr. — Ουρανός) era um deus grego que personificava o céu. Foi gerado espontaneamente por Gaia (a Terra). Casou com sua mãe, que lhe deu por filhos (e irmãos) os titãs, os Ciclopes e os Hecatonquiros (seres gigantes de 50 cabeças e 100 braços). Urano odiava seus filhos, por isto mantinha todos presos no interior de Gaia. A terra então instigou seus filhos a se revoltarem contra o pai. Cronos, o mais jovem, assumiu a liderança da luta contra Urano e, usando uma foice oferecida por Gaia, castrou seu pai e jogou seus testículos no mar. O sangue de Urano, ao cair na terra, gerou os gigantes; da espuma formada no mar com a fervência dos testículos, nasceu Afrodite. Urano continou a deitar-se sobre a terra todas as noites, mas agora não podia fecundá-la.

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/Urano_%28mitologia%29″

Paulo Victor de Olieira Batista
CIm 129851
http://paulovictor.wordpress.com

11. paulovictor - janeiro 28, 2007

MONTES,

PESQUISA PARA INSERIR

PONTOS
PESQUISAR PARA INSERIR

TITÃ
Tártaro (mitologia)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Assim como Gaia era a personificação da Terra e Urano a personificação do Céu, Tártaro era a personificação do Inferno.

Neles estavam as cavernas e grutas mais profundas e cantos mais terríveis do reino de Hades, o mundo dos mortos, para onde todos os inimigos do Olimpo eram enviados e onde eram castigados por seus crimes. Lá os Titãs foram aprisionados por Zeus (Júpiter), Hades (Plutão) e Poseidon (Netuno) após a Titanomáquia. Na Ilíada, de Homero, representa-se este mitológico Tártaro como prisão subterrânea ‘tão abaixo do Hades quanto a terra é do céu’. Segundo a mitologia, nele eram aprisionados somente os deuses inferiores, Cronos e outros espíritos titãs (criaturas sobre-humanas). Enquanto que os seres humanos, eram lançados no submundo, chamado de Inferno.

O Tártaro é personificado por um dos deuses primordiais, nascidos a partir do Caos. Suas relações com Gaia geraram as mais terríveis bestas da mitologia grega, entre elas o poderoso Tifão.

Mito
O poeta grego Hesíodo garante que uma bigorna de bronze cairia do céu durante nove dias até alcançar a terra, e que cairia outros nove dias até atingir o Tártaro. Sendo um lugar tão profundo no chão, está coberto por três camadas de noites, que se segue a um muro feito de bronze a cercar este distante subterrâneo.

É um poço úmido, frio e desgraçadamente imerso na mais tenebrosa escuridão.

Enquanto, segundo a mitologia grega, o Hades é um lugar para onde vão os mortos, o Tártaro tem uma série de moradores. Quando Cronos era o titã que governava o mundo, prendeu os Ciclopes no Tártaro. Zeus os libertou, para que o ajudassem na sua luta contra os titãs – que acabaram sendo derrotados pelos deuses do Olimpo, e aprisionados neste desolador tugúrio. Ficaram vigiados por enormes gigantes, cada um com 50 grandes cabeças e 100 fortes braços, chamados Hecatônquiros. Mais tarde, quando Zeus derrotou o monstro Tifão, filho de Tártaro com Gaia, também o lançou neste mesmo poço.

O Tártaro também é o local onde o crime encontra seu castigo. Um bom exemplo é o de Sísifo, ladrão e assassino, condenado a eternamente empurrar uma rocha ladeira acima – apenas para vê-la novamente descer com o próprio peso. Também ali se encontrava Ixíon, o primeiro homem a derramar o sangue de um parente. Fez com que o seu sogro caísse num fosso cheio de carvões em brasa para assim evitar o pagamento do dote pela esposa. Seu justo castigo foi o de passar toda a eternidade girando uma roda em chamas. Tântalo, que desfrutava da confiança dos deuses, conversando e ceando com eles, dividiu a comida e os segredos divinos aos seus amigos. Sua punição pela perfídia consistia em ser mergulhado até o pescoço em água fria, que desaparecia sempre que tentava bebê-la para aplacar a enorme sede, além de ver frutificando logo acima de sua cabeça deliciosas uvas que, quando tentava colhê-las, subiam para fora de seu alcance.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovictor.wordpress.com

12. paulovictor - janeiro 28, 2007

TITÃ
Ceos (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

TITÃ
Ceos
foi um dos titãs que nasceram de Gaia (Gea) e Urano. Era o titã da inteligência, foi casado com a titanide Febe e com ela teve Astéria, a Deusa estrelar, e Leto, a Deusa do anoitecer. Ceos era, assim como os demais titãs masculinos, uma divindade sideral, representando uma extensão da natureza de Urano, seu pai.

Segundo o poeta romano Higinus, Céos também era chamado de Pólus, sugerindo que ele fosse o “eixo” do Céu, o Pólo, ao redor do qual se movem todas as estrelas. Enquanto que sua esposa Febe, era o “eixo” da Terra.

É interessante lembrar que hoje, em nossos dias, o “eixo” do céu é a estrela Polaris “a estrela de Pólo”.

Trecho da Teogonia de Hesiodo:

“Febe entrou no leito amoroso de Ceos
E fecundou a Deusa o Deus com amor
Nasceu Leto de negro véu
Sempre boa aos humanos e aos Deuses imortais
doce desde o início
a mais suave do Olimpo
Nasceu também Astéria
Que Perses levou ao seu palácio
e a desposou,e desta união
nasceu a poderosa Hekate
Que Zeus agraciou com esplêndidos Dons…”

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A9os_%28mitologia%29″

13. paulovictor - janeiro 28, 2007

Créos (mitologia)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Crios ou Krios

é o um dos 12 titãs clássicos da tradição hesiódica. Isto porque o número de titãs varia, tal como seus nomes, de acordo com cada autor antigo.

O significado de seu nome é obscuro, tendo duas possivéis raizes, que acabam por se relacionar num jogo de relações sintáticas e semânticas. Pode vir de “krios” que em grego quer dizer carneiro (do Céu), ou ainda pode ter se originado de “kreios” que do grego signfica “prepotente” ou “soberbo”. Talvez Crios fosse uma antiga divindade sideral da constelação de Áries, o carneiro, e ainda, um antigo deus da guerra. Os gregos também o chamavam de Megamedes “grande senhor”. Desposou Euríbia “ampla volência”, uma das filhas de Gaia e Pontos, e com ela gerou três filhos: Palas “belicoso” Perses “destruidor” e Astreu “brilhante”.

Crios, assim como os demais titãs que ficaram ao lado de Cronos na Titanomáquia, foi aprisionado no Tártaro.

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/Cr%C3%A9os_%28mitologia%29″

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIM 129851
http://paulovictor.wordpress.com

14. paulovictor - janeiro 28, 2007

Hipérion
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Hipérion ou Hiperião
na mitologia grega era um antigo deus do Sol, que ao se unir com a titanide Téia gerou Selene (a Lua), Hélios (o Sol) e Eos (a Aurora).

Era um dos 12 filhos de Urano (o Céu) e de Gaia (a Terra). Seu nome quer dizer: “o que está no alto”. Para saber mais sobre Hipérion veja Téia.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovictor:wordpress.com

15. paulovictor - janeiro 28, 2007

Jápeto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Segundo a tradição de Hesíodo, Jápeto ou Iápeto era um dos 12 Titãs clássicos filhos de Gaia e Urano. Até hoje o significado do seu nome é controverso. Há uma hipótese de que Jápeto seja análogo a Jafet, um dos filho de Noé segundo o livro de Gênesis na Bíblia. Após o Dilúvio, os três filhos de Noé foram encarregados de povoar o Mundo, e assim nasceram novamente os homens. Essa relação entre o mito grego e a passagem bíblica é perturbadora e parece estar correta, pois um dos filhos do titãs Jápeto, Prometeu, foi quem criou os homens com barro e lágrimas. Por causa disso Jápeto é chamado de “a raiz dos homens”. Todavia Jafet, quer dizer “dilatar”, “inchar” ou ainda “expandir”, sugerindo que sua descendência seria grande. Mas Jápeto significa “golpeado”, “ferido”.

Jápeto desposou Clíneme, cujo nome que dizer “famosa” ou ainda “ingloriosa”, pois Clínemos é um dos epítetos de Hades, deus do inferno. Clíneme gerou os chamados “Homens Violentos”, pois todos os filhos de Jápeto eram violentos e ferozes: Prometeu “o que pensa antes”, Epimeteu “o que pensa depois”, Atlas “o que suporta” e Menecéio “aquele que é vanglorioso”. Todos os filhos de Jápeto eram mortais, pois seu próprio nome sugere que ele podia ser ferido, como um mortal.

Segundo Valeirus Flancus, Jápeto eram o predileto de Cronos entre os titãs, pois era o mais forte. E após ter sido aprisionado no Tártaro foi o único titãs que se rebelou e conseguiu fugir, mas foi capturado facilmente.

Este artigo é mínimo. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIM 129851
http://paulovictor.wordpress.com

16. paulovictor - janeiro 28, 2007

Cronos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Cronos, devorando um de seus filhos (Goya)Cronos (em grego Κρόνος – por vez erroneamente grafado como Χρόνος – que significa “tempo”) era um deus grego, correspondente ao deus romano Saturno. Ele é representado como um velho homem de cabelos brancos e barba longa. Era o mais novo dos seis grandes titãs.

Cronos era filho de Urano e teve seis filhos com sua esposa-irmã Réia: Zeus, Deméter, Hades, Héstia, Posídon e Hera. Era associado ao tempo pelos gregos. Cronos representa a passagem dos deuses antigos (ciclopes e titãs) para os deuses olímpicos (assim chamados por habitarem o Olimpo), liderados por seu filho Zeus.

O mito diz que a esposa de Urano era Gaia (a Terra) e que cada vez que Gaia tinha um filho, Urano o devolvia ao ventre de Gaia. Cansada disto, Gaia tramou com seu filho Cronos. Ela fez de seu próprio seio uma pedra em forma de lâmina e a deu para Cronos. Cronos esperou que Urano, seu pai, dormisse e o castrou. Atirou a genitália de Urano no mar, de onde brotou Afrodite, a deusa do amor.

Após isto, Cronos reinou entre os deuses durante um período de prosperidade conhecido como Idade Dourada, mas uma profecia dizia que ele seria enfim vencido por um filho seu. Assim, temendo uma revolta tal qual a sua, ele passou a devorar seus próprios filhos assim que nasciam. Até que a profecia se cumpriu e Zeus auxiliado por Gaia o destronou, na guerra que ficaria conhecida como titanomaquia. Zeus libertou definitivamente seus irmãos e baniu os titãs para o Tártaro.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIM 129851
http://paulovictor.wordpress.com

17. paulovictor - janeiro 28, 2007

Téia
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Téia significa “visão” ou “vislumbrar”. Era uma antiga deusa da luz e por extensão, também dos metais preciosos e jóias. Um dos poucos textos em que esta titânide é citada é a Teogonia de Hesíodo, e mesmo assim pouco se sabe sobre seus mitos. Também era uma antiga deusa do dia, como Hemera, com quem foi diversas vezes confundida. Desposou Hipérion e deu a luz às divindades siderais Helios, o Deus sol, Selene, a Deusa Lua, e Eos a Deusa Aurora.

Um antiga tradição grega conta que Téia era chamada de Basiléia “rainha”, e que os demais titãs tinham inveja da beleza de seu marido e de seus filhos. Assim eles afogaram Hélios no rio Erídano (que desembocava no Ocidente), e cortaram em pedaços o corpo de Hipérion. Desesperada, Téia caminhavam pelas margens do Erídano, até que uma tempestade causou um enchente e ela foi levada pelo rio. Quando então Zeus venceu os titãs, devolveu a vida a Hélios, e esse resgatou sua mãe na foz do rio.

Esse relato sugere que Téia, não foi aprisionada com os demais titãs, e que vive com seu filho em seu palácio no Oriente.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129861
http://paulovictor.wordpress.com

18. paulovictor - janeiro 28, 2007

Reia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Na mitologia grega, Reia ou Réia uma titã, filha de Urano e de Gaia. Na mitologia romana é identificada com Cibele, a Magna Mater deorum Idaea.

Irmã e esposa de Cronos, gerou Deméter, Hades, Hera, Hestia, Poseidon e Zeus, segundo a Teogonia de Hesíodo.

Devido a um oráculo de Urano, que profetizara que Cronos seria destronado por um dos filhos, este engulia todos os seus filhos. Quando Zeus nasceu, Reia deu-lhe uma pedra enrolada em panos no lugar de Zeus, entregando este para ser criado por ninfas. Deu assim lugar ao destronamento de Cronos e a ascendência de Zeus ao Olimpo.

Seguindo a ascensão de seu filho Zeus ao status de rei dos deuses, ela contestou sua parte do mundo e acabou refugiando-se nas montanhas, onde cercou-se de criaturas selvagens. Geralmente, é associada a leões ou a uma biga puxada por leões.

Por ser mãe de todos deuses do Olimpo, é conhecida como Mãe dos Deuses. É uma deusa relacionada com a fertilidade.

Na Ásia Menor, era conhecida como uma deusa terrestre, sendo venerada com ritos orgíacos. Seu nome significa “fluxo”, aparentemente em referência à menstruação feminina, e “reconforto”, talvez em referência aos partos fáceis.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIM 129851
http://paulovictor.wordpress.com

19. paulovictor - janeiro 28, 2007

Têmis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Têmis era a deusa grega da justiça. Era filha de Urano e de Gaia, e segunda mulher de Zeus. Era uma divindade da segunda geração, criada, juntamente com Nêmesis — a deusa da ética — pelas moiras. Têmis utiliza a balança e a espada, buscando o equilíbrio de sua decisão e a força para sua realização. Diferente da deusa Dice, ela não é cega. Empunha a balança, com que equilibra a razão com o julgamento. E tambem empunha a espada, que é a força para aplicar o juízo.

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIM 129851
http://paulovictor.wordpress.com

20. paulovictor - janeiro 28, 2007

Mnemosine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Mnemósine a quem os gregos costumavam chamar de “a rainha de Eleutéria” era uma das titânides filhas de Urano e Gaia e a deusa da Memória.

Para os gregos a idéia da memória era bem peculiar. A memória só podia se construída por meio da música e do cantos, e por isso que na antiguidade, as histórias eram cantadas e não faladas nem escritas. Com a evolução tecnológica, os gregos sofisticaram o modo de guardar e proteger sua cultura. Assim, Mnemósine, que era A Antiga Musa, tornou-se mãe das Nove Musas, que eram deusas das artes. E foi por meio da arte que os gregos mantiveram sua cultura e ciência.

Segundo o mito Mnemósine foi a 4ª esposa de Zeus. O rei dos deuses se deitou com ela durante nove noites sobre as planícies de Eleutéria depois de se disfarçar de pastor.

Mnemósine, diferente dos titãs, não foi aprisionada no Tártaro.

As Nove Musas são: Calíope, Clio, Erato, Euterpe, Melpômene, Polímnia, Terpsícore, Tália, e Urania.

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/Mnemosine”

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovictor.wordpress.com

21. paulovictor - janeiro 28, 2007

Febe (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Assim como a Lua possui fases e se mostra sobre diferentes formas, os gregos conceberam diversas deusas da Lua. Febe, chamada de “A mais bela entre as Titânides”, era uma delas. Talvez a primeira deusa da Lua que os gregos conheceram. Febe é confundida com sua sobrinha Selene (filha de Hypérion e Téia). É confundida também com suas netas Ártemis e Hécate. Febe é a Deusa da lua, relacionada com as noites de lua cheia. Seu nome quer dizer “brilhante”, nome que foi emprestado ao seu neto Apolo, chamado de Febo. Febe se uniu à Céos e tiveram as Deusas Leto e Astéria. Higinus ainda acrescenta entre suas filhas o nome de Afirafes.

Febe era uma antiga deusa da profecia e dividia o Oráculos de Delfos com Gaia (sua mãe) e com Têmis (sua irmã). Mais tarde as deusas passaram o oráculos às mãos de Apolo. Por tudo isso Febe, apesar de brilhante, era considerada uma deusa de mistérios e segredos.

Era representada como uma bela mulher com os seios nus, voando pelo céu e levando numa das mãos um cântaro de prata.

Paulo Vitor de Oliveira Batista
CIM 129851
http://paulovictor.wordpress.com

22. paulovictor - janeiro 28, 2007

Tétis (Titanide)

Tétis é uma Titanide, filha de Urano e de Gaia. Da sua união com o seu irmão Oceanus, nasceram as três mil Oceanides e três mil rios. Personifica a fecundidade da água, que alimenta os corpos e forma a seiva da vegetação.

Segundo a tradição, Reia confiou-lhe o cuidado de Hera, durante a luta entre Titãs e os deuses olímpicos. Em reconhecimento, a rainha do Olimpo reconciliou-a com Oceano, quando o casal se desentendeu. Tétis é representada como uma mulher jovem, de aspecto sábio. Passeia pelo mundo numa concha de marfim, puxada por cavalos brancos.

Retirado de “http://pt.wikipedia.org/wiki/T%C3%A9tis_%28Titanide%29″

Paulo Victor de Oliveira Batista
CIm 129851
http://paulovitor.wordpress.com

23. Tarles Prado - fevereiro 22, 2007

Muito 10 seu blog gostei muito muita coisa interessante parabéns e estou divulgando o seu site no meu blog..thanksss very good!

24. PÂMELA ALVES - abril 9, 2007

vOCÊ NPODERIA POR FAVOR ME INFORMAR O NOME DO FILHO DA NOITE SOLIDÃO SE É QUE TEM.
e SE EXISTE ALGUM DEUS GREGO, MITO OU LENDA QUE FALE SOBRE O TEMA.
BJOS

25. PÂMELA ALVES - abril 9, 2007

se vc souber mande para o meu e-mail agradeço
pamalves@yahoo.com.br

26. Tiago Cabral - abril 17, 2007

Interessantissimo!!! adorei seu blog!! está muito detalhado e bem explicado, o que melhora e muito o entendimento da miotologia grega, perfeito!!
Sugestão: Coloque um tópico sobre Hades, conte algumas histórias em que ele participa!! é muito legal..
abçs

27. josana - maio 3, 2007

Bom dia!
Gostaria de saber o significado da palavra calipso, pois queria colocar no meu barco.
Agradeço desde já.

28. Brenda Da Conceição Santos - setembro 20, 2007

Oi,boa tarde!Eu gostaria de saber o significado do nome Josana,vocês poderiam enviar o resultado da pesquisa pro meu email por gentileza?Obriga,aguardo notícias!

29. Costa - setembro 24, 2007

Prezado Paulo Victor,

Parabéns pelo seu trabalho neste website.

Por favor, gostaria que me esclarecesse sobre os seguintes conceitos mitológicos: KA, BA, DUAT, SEKHET HETSPET e ARULU.

E se possível indique-me bons dicionários de mitologia na web.

Saudações,
Costa

30. Drª Sara - setembro 27, 2007

Pô amigo, sabes muito mesmo. Trabalhei com a répicia do mito Deméter Perséfone e pesuisei em São Paulo. Encontrei 08 mulheres e m Simbiose com a filha. Mas, teve um caso onde era a réplica em tudo, onde uma vivia a identidade da outra. Começavam a falar de so e continuava falando da filha e vice-versa. O masculino não entrava nessa relação. Aceitou o Coito para procriação, se sentia a própria Deusa Deméter.
Qual deusa era ansiosa e fóbica?
E deuses?Escreva algo pequeno a respeito que vai levar op nome no livro que vou fazer. Não se espante. Em meses, estará pronto e lhe emvio uma cópia e dedico a você.
So lopng
Drª Sara
Abraços
Leila Sara

31. Drª Sara - setembro 27, 2007

corrija , please so long e tem uma p a mais.
Vamos “trocar figurinhas”?
Adoro conversar com pessoas inteligentes e de coração irradiante de luz divina.
Drª Sara

32. Thalassa - outubro 28, 2007

Ei Paulo Victor!
Eu queria mais informações da historia da Thalassa filha de Aether e Hemera…
Queria entender mais sobre porque me chamo Thalassa…
Obrigada!

33. olí - novembro 1, 2007

pow botem algo sobre pandora e cassiopeia

34. Leticia - novembro 8, 2007

Oi Paulo Victor!!

Queria mais informações sobre medusa, e também queria saber o significado da palavra gorgónas, que tem no texto que li dela.
Esse texto é do livro Divinas aventuras – histórias da mitologia grega e nele tem esta palavra.
Ja procurei no dicionário mas não tinha essa palavra.

Obrigada!!

35. Frederico Pieranti - dezembro 31, 2007

Gostaria de saber, se possível, detalhes sobre Quiron, já que a minha melhor fonte foi o Livro de Ouro da Mitologia Grega, mas achei pouco detalhado.
Obrigado!

36. Therpsicore Marback d'oliveira - janeiro 11, 2008

Olá por incrivel que pareça meu no me é therpsicore
fiquei fascinada pela pesquisa que fiz sobre a Terpsicore
verdadeira e estou aq só pra diser que adorei e amo meu nome e mais ainda por saber tais semelhanças:sou romantica adoro poesias e principalmente dançar.bjus e tenha um otimo fim de semana

37. Carla Bergma Nascimento de Oliveira - março 18, 2008

Olá! Paulo. Eu também gosto de mitologia, porém não tenho tanta informação quanto você tem; por isso queria pedir uma orientação, por onde devo começar a ler livros de mitologia para meus filhos. Eles tem 11 e 4 anos. Se possível mande-me um e-mail com alguns títulos destinados a eles. Obrigada e um abraço.

38. Lustato Tenterrara - maio 21, 2008

Amon-Rah!
O Deus-Sol…

Há alguma história sobre os requisitos para a realização ou não
dos pedidos e desejos endereçados a esse grandioso Deus?

Se possível mande-se o que possuir sobre Amon-Rah.

Obrigado
Lustato Tenterrara
http://www.lustatotenterrara.com
interligado on line 24 horas com
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/lustato

e-mail lustato@gmail.com

39. Neusa - maio 29, 2008

gostaria de saber mas detalhes sobre a existencia do craador dos jogos olimpicos o prometeu.mas adorei as sdicas estabelecidas sobre a miotologia grega

40. Maria Aparecida Pimentel - julho 23, 2008

Gostaria de informações sobre a destruição da mitologia grega.
Agradeço desde já.

41. daniel - agosto 17, 2008

http://www.thevirtual.kit.net/index.htm

ajude me a descobrir esse enigma é trabalho de escola o mais rapido possivel

42. Paulo Nascimento - agosto 17, 2008

Caro Paulo Victor,

Gostaria de saber qual o nome do Deus do frio ou do gelo, se não tiver me confirme se Encelado é o titã Senhor do gelo, pois gostaria de colocar o nome da minha empresa de ar condicionado com algu relacionado.

Paulo Nascimento

43. zenildo da cruz rodrigues - março 31, 2009

Eu queria saber sobre as funções da mitologia grega por favor mande para o meu email.
zenildoogato@hotmail.com
Zenildo rodrigues

44. larissa - outubro 5, 2009

me ajudou muito!!!!

45. paulo castro de oliveira - outubro 30, 2009

gostaria de saber o significado do nome polux por favor me respondam.

46. Duarte - maio 2, 2010

Olá Paulo,

será que me poderia facilita uma imagem de um “Tritão”.

Obrigada
Duarte

47. claudio fontana teles de carvalho - agosto 31, 2010

beleza! gostei demais! vou copiar uma parte para MEU BLOG. PRECISO FAZER UMA PESQUISA MAIS DETALHADA! PARABENS!

48. Ana Aguiar - outubro 4, 2010

gosto de ler coneúdo que retratam a Mitólogia grega,acho fascinante,os seus Deuses as suas tradições etc,gostaria muito de obter um exemplar do livro as 15 lendas da mitologia,quie fala sobre Prometeus Pesique baco Afrodite entre outros Caso for possivel envia uma copia para o meu Email.Obrigado.Ana aguiar

49. t.heffy - junho 24, 2011

eu gostaria muito de saber qual a influencia q a mitologia grega tem hoje na nossa sociedade

50. Any - abril 4, 2012

Não Fala quase nada sobre o CRIO, filho de Urano e Gaia.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: